Superliga Feminina

  • Crédito: Erbs Jr./SESC-RJ

    No primeiro turno, o SESC-RJ venceu o São Caetano por 3 sets a 0.

Superliga inicia momentos decisivos

Rodada deste fim de semana começa a sinalizar quem vai aos playoffs e quem deve ficar pelo caminho
Por: Redação - 11/01/2018 16:20:26

Nesta sexta-feira à noite, a Superliga feminina abre a 4ª rodada do returno. A partir daí, faltarão sete rodadas para a maioria das equipes decidir seu destino no campeonato. O que está em jogo nesta fase classificatória são as oito vagas para os playoffs e quais serão os dois times rebaixados para a Superliga B na temporada 2018/2019. Essa segunda parte já parece certa: Renata Valinhos Country e SESI-SP dificilmente escapam da queda.

Se voltarem a perder neste fim de semana, os times já deixam de ter chances matemáticas de buscar vaga no G8, situação que está difícil também para o BRB Brasília, cuja meta a partir de agora tende a ser se manter à frente de Renata Valinhos e do SESI-SP para preserver sua vaga na elite do voleibol feminina na próxima temporada. Mas a rodada é também desafiadora para os times que estão no rebolo e para os que estão tentando ficar no G4.

SESC-RJ, Vôlei Nestlé e Camponesa Minas, junto com o líder Dentil Praia Clube, parecem ser os mais cotados a se garantir no G4 e levar vantagem de mando para os playoffs. Nesta sexta-feira, às 20h, em São Caetano-SP, o SESC-RJ visita a equipe local. O time carioca busca chegar aos 40 pontos para não desgarrar do Praia Clube, enquanto o São Cristóvão Saúde ainda luta por vaga no G8 - com 16 pontos, a equipe ocupa atualmente a 9ª posição.

Também em São Paulo, mas na capital, às 21h30, o Pinheiro recebe o Vôlei Nestlé em um clássico regional. O time de Osasco-SP defende a 3ª colocação, enquanto o Pinheiros tenta se sustentar no G8. Com 18 pontos, a equipe pinheirense precisa somar para se livrar da perseguição do São Caetano e não desgarrar do Bauru, que está em 7º, com 20. “Estamos treinando com intensidade desde o dia 2 de janeiro. Não dá para baixar o ritmo. Neste ano, a Superliga está muito forte, equilibrada e tecnicamente nivelada por cima”, comenta o técnico do Pinheiros, Paulo de Tarso.

O Bauru, que recebe o lanterna SESI-SP, joga de olho no duelo Pinheiros x Vôlei Nestlé. Uma derrota pinheirense, combinanda com uma vitória bauruense, ajuda o time a abrir boa vantagem no G8. “Não será um jogo fácil. Pelo contrário, pois o SESI-SP está em busca da primeira vitória, enquanto nós estamos em busca de uma manutenção de sequência”, destaca a central Angelica, capitã do Bauru. Esse duelo acontece às 19h30 desta sexta.

Em outros dois jogos que envolvem equipes que disputam vaga no G4 e no G8, o Camponesa Minas recebe o BRB Brasília, às 20h, em Belo Horizonte-MG, e o Hinode Barueri visita o Renata Valinhos, também às 20h. Para a central Mara Leão, do Camponesa, a diferença na tabela de classificação não significa que o jogo será fácil. “Temos que trabalhar muito e manter o foco, como fizemos contra o Fluminense. A concentração do nosso time faz a diferença em quadra. Desta vez, não pode ser diferente”, afirma.

A rodada será complementada no domingo, quando o Fluminense desafia a invencibilidade do Dentil Praia Clube, no Rio. O time mineiro só perdeu dois sets até agora, e tem 100% de aproveitamento. Já o tricolor carioca ocupa a 5ª colcoação, com 24 pontos, e ainda sonha com o G4.

Superliga feminina
4ª rodada – returno
Sexta-feira
Bauru x SESI-SP, 19h30
Camponesa Minas x BRB Brasília, 20h
Renata Valinhos Country x Hinode Barueri, 20h
São Cristóvão Saúde/São Caetano x SESC-RJ, 20h
Pinheiros x Vôlei Nestlé, 21h30
Domingo
Fluminense x Dentil Praia Clube, 20h30

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade