Superliga Feminina

  • Crédito: Divulgação/CBV

    Claudinha foi peça importante do Dentil Praia Clube na temporada.
  • Crédito: Divulgação/CBV

    Do banco de reserva para o time titular, o destino de Roberta na Superliga.

Levantadoras são armas para decisão

Roberta e Claudinha percorreram caminhos opostos antes da final do torneio
Por: Redação - 30/03/2016 12:35:37

A decisão da Superliga, neste domingo, às 9h, em Brasília, vai ter vários duelos: irmã contra irmã, Alix x Natália e Rexona-Ades x Dentil Praia Clube. Mas na posição que faz a bola chegar ao atacante teremos uma disputa de duas atletas que viveram situações diferentes. A levantadora Roberta, do Rexona-Ades, enfrenta Claudinha, do Dentil Praia Clube. Uma entrou e foi importante nas semifinais, a outra é uma das principais jogadoras do torneio.

Antes da semifinal, caso alguém falasse para os torcedores do Rexona-Ades que Roberta seria uma das principais jogadoras do jogo contra o Vôlei Nestlé, muitos deles não iriam acreditar. O motivo era que a levantadora, de 26 anos, não estava entre as titulares. Entretanto, o técnico Bernardinho precisou de algo diferente e apostou na jogadora, mudando os rumos da série semifinal. 

Após a entrada de Roberta, o Rexona-Ades, que havia perdido o primeiro jogo, venceu as duas partidas e foi à final. Contente, a jogadora não escondeu o sorriso. “Fiquei muito feliz em poder ajudar o time. As semifinais foram a realização de um sonho. Joguei tranquila e não me senti pressionada. Foi um grande aprendizado”, disse.

Dona do levantamento mineiro

Do outro lado rede, estará Claudinha. A jogadora foi títular na maioria dos jogos e apresentou um desempenho regular durante toda a temporada, sendo uma das principais peças da equipe. Segundo números da CBV (Confederação Brasileira de Voleibol), Claudinha é a segunda levantadora mais eficiente da Superliga, com 20% de aproveitamento. Apesar dos números, Claudinha entende que a força do grupo foi o diferencial na temporada. “O sucesso que tivemos nessa temporada foi em função da união desse grupo. Sempre jogamos juntas nas vitórias e nas derrotas. Temos um grupo sensacional, bom de se trabalhar e esse é o nosso ponto forte”, explicou.

O caminho das atletas na Superliga 2015/16 foi oposto, mas o elogio entre elas é parecido. “A Claudinha está com uma distribuição muita boa e colocou todas as atacantes para jogar”, avaliou Roberta. Já Claudinha destaca o aprendizado e o talento da adversária. “A Roberta sempre foi uma das revelações na posição e a vejo como uma das grandes levantadoras do Brasil. Nesses últimos anos ela teve a oportunidade de treinar e aprender com nomes como a Fernanda Venturini e a Fofão”, finaliza a levantadora do Dentil Praia Clube.

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade