Superliga Feminina

  • Crédito: Rexona/Sesc

    Gabi e Juciely: preparando-se para outra maratona.

Gabi e Juciely se reapresentam ao Rexona

Equipe carioca ainda aguarda técnico Bernardinho e apresentação da holandesa Anne Buijs
Por: Redação - 01/09/2016 15:20:29

Após um breve período de descanso após os Jogos Olímpicos, a ponteira Gabi e a meio de rede Juciely já estão de volta à quadra. As duas atletas se reapresentaram quarta-feira ao Rexona-Sesc e iniciaram a preparação para a temporada 2016/2017. A partir de agora, ficam pendentes apenas a chegada do técnico Bernardinho, no início da próxima semana, e da holandesa Anne Buijs, que aguarda a liberação de seu visto de trabalho para desembarcar de vez no Rio de Janeiro.

Um dos pilares do Rexona-Sesc, a líbero Fabi fará sua 12ª temporada no time e sabe que será preciso trabalhar ainda mais para conquistar os títulos que todos na equipe desejam. O primeiro desafio será o Campeonato Carioca, a ser disputado ainda em setembro. Depois, em outubro, virão a disputa da Supercopa, diante do Praia Clube e ainda sem data marcada, e o Campeonato Mundial, entre os dias 18 e 23, na cidade de Manila, nas Filipinas. “Isso tudo só nos faz querer treinar mais e se dedicar mais. Todos os títulos foram conquistados através de muito trabalho, e não será diferente nesta temporada”, comenta Fabi.

Menos experiente e em sua quinta temporada no Rexona-Sesc, Gabi será, sem dúvida, outro pilar da equipe de Bernardinho. A jovem ponteira sabe que precisará assumir seu papel de protagonista e revelou alguns planos que traçou com o treinador para a nova temporada. “É um desejo dele também, que eu treine cada vez mais e me torne mais ofensiva, uma jogadora completa. Chegou a hora de virar a chave e evoluir. A minha motivação é muito grande”, diz Gabi.

Outra jogadora que terá papel fundamental no Rexona-Sesc será Roberta. Após seis anos no time carioca, a jogadora começará uma temporada como titular pela primeira vez. Mesmo empolgada com a sua evolução, a levantadora mantém os pés no chão e reconhece que a cobrança também será maior. “A expectativa é muito grande. A forma como terminou a Superliga passada me motiva mais ainda. Mas a responsabilidade e a cobrança aumentam junto”, afirma.

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade