Superliga Feminina

  • Crédito: Orlando Bento/Minas Tênis Clube

    Rosamaria prega atençao total contra o Vôlei Nestlé.

Nestlé encara o invicto Camponesa

Time de BH está 100% no returno, mas equipe de Osasco precisa vencer para assumir a vice-liderança
Por: Redação - 16/02/2017 17:23:34

Vôlei Nestlé e Camponesa Minas jogam nesta sexta-feira, às 20h, com objetivos bem definidos. O time de Osasco-SP quer reaver a vice-liderança. Já a equipe mineira joga para preservar o 4º lugar.

O confronto acontece na Arena Minas, em Belo Horizonte-MG, e será válido pela 7ª rodada do segundo turno da Superliga feminina. Em 17 rodadas, Vôlei Nestlé soma 14 vitórias e 42 pontos, um a menos que o Dentil Praia Clube, que já fez 18 partidas.

Já o Camponesa tem 33 pontos e está na 4ª posição. O time não sabe o que é perder no returno, o que deixa o Vôlei Nestlé consciente de que encontrará dificuldades. “Atuar em Belo Horizonte é sempre complicado. É um adversário de qualidade e que conta com a Jaqueline voltando e com a Hooker melhor a cada jogo", avalia Dani Lins.

O técnico Luizomar de Moura espera um grande jogo e analisa o adversário. "Enfrentamos o Camponesa Minas há pouco mais de duas semanas pela Copa do Brasil e foi uma das melhores partidas da temporada. Mas temos a ambição de brigar pela ponta da competição. Quem assistir vai presenciar um grande espetáculo", garante.

No camponesa, a ponteira Rosamaria quer contar com o apoio do torcedor para buscar mais um triunfo. “A gente sabe que o torcedor do Minas não abandona o time nunca. Os números da Superliga mostram isso. Temos a maior média de público e nesta sexta-feira não será diferente. Com certeza, a casa estará cheia e os torcedores vão nos apoiar”, comentou.

Vôlei Nestlé e Camponesa Minas se enfrentaram duas vezes na temporada 2016/2017 e o time de Osasco-SP venceu, em casa, no primeiro turno da Superliga, por 3 sets a 0, enquanto a equipe mineira levou vantagem na semifinal da Copa do Brasil 2017, por 3 a 2. De 2009 para cá, os clubes se encontraram em 19 ocasiões e a vantagem é de Camila Brait e suas comandadas, com 12 vitórias e sete derrotas. Na história da Superliga, os clubes jogaram 66 vezes e Osasco soma 43 resultados positivos contra 23 do adversário.

Superliga feminina
7ª rodada do returno
Quinta-feira
Renata Valinhos/Country x SESI-SP, às 21h55
Sexta-feira
Fluminense x São Cristóvão Saúde/São Caetano, às 20h
Camponesa Minas x Vôlei Nestlé, às 20h
Genter Bauru x Pinheiros, às 21h30

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *