Olimpíadas

  • Crédito: Reprodução

    Seleção masculina de 1992: campanha irretocável, nos tempos do voleibol-raiz.

Primeiro ouro olímpico completa 26 anos

Data eterna do voleibol nacional nasceu nos Jogos de 1992 e foi construída por 13 heróis nacionais
Por: Redação - 09/08/2018 15:37:42
925 visualizações

Neste 9 de agosto se comemora uma data eterna: a da primeira conquista brasileira do ouro olímpico no voleibol. Foi há 26 anos - nos Jogos de Barcelona, em 1992 -, mas parece que foi ontem. Quem não lembra daquela manhã de domingo, em que a seleção brasileira masculina detonou a Holanda por 3 sets a 0 (15-12, 15-8, 15-5).

Foi uma campanha irretocável, com 7 vitórias – quatro delas por 3 a 0 e três por 3 a 1. Recorde que os sets ainda não eram disputados no modelo atual, com 25 pontos. Era na regra antiga, no estilo voleibol-raiz, quando existia a vantagem. Por isso, relembre a campanha dourada:
1ª fase
Brasil 3 x 0 Coreia do Sul (15-13, 16-14, 15-7)
Brasil 3 x 1 Equipe Unificada (15-6, 15-7, 9-15, 16-14)
Brasil 3 x 0 Holanda (15-11, 15-9, 15-4)
Brasil 3 x 1 Cuba (15-6, 15-8, 12-15, 15-8)
Quartas de final
Brasil 3 x 0 Japão (15-12, 15-5, 15-12)
Semifinal
Brasil 3 x 1 Estados Unidos (12-15, 15-8, 15-9 e 15-12)
Final
Brasil 3 x 0 Holanda ((15-12, 15-8, 15-5)

Por onde andam os campeões olímpicos

Maurício: atualmente é presidente de honra do Vôlei Renata, em Campinas-SP.
Talmo: foi técnico até 2017 e atualmente dirige curso de educação física em universidade de Minas Gerais.
Marcelo Negrão: comentarista de vôlei na Band Sport.
Janelson: depois que encerrou a carreira se afastou do esporte.Vive em Porto Alegre-RS.
Jorge Edson: é técnico da base no Clube Curitibano, em Curitiba-PR.
Tande: comentarista do SporTV.
Giovane: técnico do time masculino do SESC-RJ e técnico da seleção brasileira que vai disputar a Copa Pan masculina.
Paulão: comanda o Jurerê Sports Center, em Florianópolis-SC.
Pampa: escreveu o livro Um por todos, Todos por um, que conta a saga olímpica de 1992.
Carlão: comentarista do SporTV.
Douglas: atou como técnico e atualmente vive em São Paulo-SP.
Amauri: ocupou até 2017 o cargo de presidente da Confederação Brasileira de Voleibol Paraolímpico.
José Roberto Guimarães: era o técnico. Atualmente comanda a seleção feminina, com quem ganhou dois ouros olímpicos.

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade