Olimpíadas

  • Crédito: CBV

    José Roberto Guimarães e Renan Dal Zotto: obrigação e favoritismo de classificar no pré-olímpico.

Pré-olímpico: técnicos buscam desculpas

José Roberto Guimarães e Rena Dal Zotto não assumem favoritismo e tentam valorizar rivais fracos
Por: Redação - 11/01/2019 10:53:26
2.013 visualizações

Em vez de assumirem o favoritismo do Brasil nos pré-olímpicos masculino e feminino, os técnicos das seleções procuraram se esconder num falso equilíbrio das chaves e valorizar os adversários, que, perto da tradição do Brasil, são meros coadjuvantes.

Veja o que disseram os treinadores sobre os pré-olímpicos:
Renan Dal Zotto, técnico da seleção masculina
“O pré-olímpico é extremamente importante e perigoso. É uma competição de tiro curto, onde não podemos cometer falhas. Todo jogo vale a classificação. Sabemos que a Bulgária, até pela tradição, é a seleção mais perigosa, mas Egito e Porto Rico, claro, também exigem muito cuidado. Nosso foco vai estar total neste torneio, que consideramos o mais importante do ano.”

José Roberto Guimarães, técnico da seleção feminina
“É um grupo forte, com seleções que têm se desenvolvido nos últimos anos. As três equipes participaram do último Mundial e mostraram uma melhora significativa. A República Dominicana tem no comando um brasileiro, o Marquinhos (Marcos Kwiek), e muito potencial de ataque. O Azerbaijão joga com bolas altas e tem jogadoras experientes que participam dos grandes campeonatos da Europa. Já Camarões tem melhorado a cada competição. Sabemos que será um ano de muito trabalho e vamos em busca dos melhores resultados possíveis.”

Compartilhe



Veja também...

1 Comentários

  1. WilsonDiz:

    2 técnicos frouxos. Já começam a competição como derrotados. José panela tá na hora de pegar seu banquinho e sair de fininho. Já deu.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

Publicidade
Publicidade
Publicidade