Campeonato Mundial - Masculino

  • Crédito: FIVB

    Polônia comemora título, após duelo em que conseguiu anular o ímpeto da seleção brasileira.
  • Crédito: FIVB

    Polônia conseguiu anular as principais peças brasileiras e conquistou seu terceiro título mundial.

Polônia bate Brasil e vence mundial

Seleção europeia ganha terceiro título (1974, 2014 e 2018), o segundo em cima do time brasileiro
Por: Redação - 30/09/2018 17:55:41

A Polônia é campeã mundial de 2018. Na decisão deste domingo, em Turim-Itália, venceu o Brasil por 3 sets a 0 (28-26, 25-20 e 25-23) e conquistou pela terceira vez o campeonato (1974, 2014 e 2018). Foi o segundo título em cima da seleção brasileira, repetindo 2014. Também foi a terceira vez que as duas seleções decidiram o mundial. O Brasil ganhou em 2006 e perdeu as outras duas vezes.

A seleção brasileira chegou em sua quinta decisão seguida do mundial apostando na experiência de seus jogadores, mas não contava que a dupla Kurek e Kubiak desmontasse o sistema defensivo do Brasil, marcando 24 e 12 pontos, respectivamente. Para acertar a marcação, o técnico Renan Dal Zotto tentou várias opções, mas não encaixou uma que contivesse os dois atacantes poloneses.

No terceiro set, já com as alternativas se esgotando, sobrou o voluntarismo, mas a Polônia se manteve irredutível com seu bom jogo defensivo, seu saque forçado e com sua dupla de atacantes colocando bola na quadra brasileira uma atrás da outra. Só restou ao Brasil aceitar a derrota, conquistando um honroso vice-campeonato. O terceiro lugar ficou com os Estados Unidos, que venceu a Sérvia por 3 a 1. 

A seleção brasileira chegou no mundial superando lesões e desfalques importantes, como Ricardo Lucarelli e Maurício Borges. Além disso, teve que recuperar jogadores decisivos entre a Liga das Nações e o mundial. O principal deles foi Lipe, que correu risco de corte, além de Lucão, que no decorrer do mundial apresentou uma dor insistente de ombro.

Sobressaíram-se o ponteiro Douglas Souza e o líbero Maique, como revelações, além do levantador William, que salvou o Brasil em várias situações na Final Six. Evandro também se mostrou importante para a seleção, que agora inicia o ciclo olímpico para 2020, em Tóquio. O time poderá sofrer reformulações pontuais e terá a oportunidade de contar com o ponteiro Leal, naturalizado brasileiro, e que poderá ser convocado a partir de maio de 2019.

Brasil
Bruninho, Wallace, Douglas Souza, Lipe, Lucão e Thales (líbero)
Entraram: William, Evandro, Isac, Lucas Loh, Maurício Souza, Éder e Maique (líbero)
Técnico: Renan Dal Zotto
Polônia
Kurek, Kubiak, Szalpuk, Nowakowski, Drzyzga e Zattorski (líbero)
Entraram: Kochanowski, Bieniek, Konarski e Lomacz
Técnico: Vital Heynen

Compartilhe



Veja também...

1 Comentários

  1. Roberto GayosoDiz:

    Os poloneses mereceram ganhar. Jogaram o jogo da vida deles e o Brasil não apareceu, ficou intimidado com o ritmo polaco. Porém, não dá pra dizer que a seleção não se esforçou, pelo contrário, fizemos o máximo sem os reforços de Maurício Borges e Lucarelli. Vamos para 2022 !!!!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

Publicidade
Publicidade
Publicidade